22 out 2019 terça-feira 21:00
Sala Suggia
Bossa Nova 60 anos
Com Quarteto do Rio (Ex Cariocas), Roberto Menescal, Wanda Sá
22 - Bossa Nova 60 anos · João Cavalcanti e Marcelo Caldi
  • Bossa Nova 60 anos

    Com Quarteto do Rio (Ex Cariocas), Roberto Menescal, Wanda Sá, João Cavalcanti, Marcelo Caldi e Rodolfo de Carvalho

    2019 viu desaparecer um dos nomes maiores nomes da música brasileira, o baiano João Gilberto, figura indissociável do nascimento da bossa nova. Surgida no final da década de 1950 – com o lp Chega de Saudade –, a bossa nova tornou-se num dos movimentos mais influentes da história da música brasileira em todo o mundo. Já o encontro entre a bossa e o jazz é a história de uma influência mútua, onde se misturam protagonistas e quem ganhou foi a música (e todos nós). A paixão pela bossa nova inspirou os compositores Murilo Miranda e Rodolfo Carvalho a lançar o disco Transcendência da Bossa, uma celebração dos 60 anos do nascimento do estilo. O nome do concerto é emprestado da célebre noite em que Tom Jobim, Vinicius de Moraes, João Gilberto e os Cariocas, se apresentaram na discoteca Au Bon Gourmet, em Copacabana, local onde se tornaram conhecidas canções como “Garota de Ipanema”. O palco é partilhado por figuras maiores da MPB contemporânea, desde o Quarteto do Rio (ex-Os cariocas), Roberto Menescal, Wanda de Sá Marcelo Caldi até João Cavalcanti.

     


     

    João Cavalcanti e Marcelo Caldi (1ª Parte)

    Cinco anos após a edição do seu álbum de estreia, Placebo, João Cavalcanti lançou Garimpo (2018), feito em duo com o pianista/acordeonista Marcelo Caldi. Desprender-se dos rótulos e alimentar-se dos mais diversos parceiros foram premissas determinantes para o resultado final: um disco de canções variadas e enriquecidas por múltiplas influências, cuja autoria João Cavalcanti partilhou com gente como Lenine (seu pai), Pedro Luís, Jorge Drexler, Zé Renato ou o próprio Marcelo Caldi, mas ligadas umas às outras de formas mais ou menos secretas. António Zambujo empresta a sua voz a um dos temas, A Causa e o Pó, participando assim num dos álbuns mais interessantes da música brasileira recente.

     

    O Outono em Jazz é o pretexto para trazer à Casa da Música algumas das propostas mais vibrantes da actualidade. Na sua sétima edição, o festival continua a revelar a melhor música que se faz sob a capa abrangente de um género marcado pelo culto da improvisação e da inovação. Entre nomes consagrados e novos valores, todas as tendências do jazz são bem-vindas.

     

    Comentários

  • Folha de sala
x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE